Campo Grande/MS, Sábado, 23 de Setembro de 2017 | 03:20
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 17h:56
Tamanho do texto A - A+

Sessão Especial Criminal do TJMS nega recurso de Gilmar Olarte para anular julgamento

Pastor, e ex-prefeito condenado a mais de 8 anos, alega que não teve amplo direito a defesa em caso de lavagem de dinheiro e corrupção passiva

Flavio Brito
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Gilmar Olarte

Gilmar Olarte foi condenado a mais de 8 anos de prisão

 

Depois de ter tido o julgamento adiado por falta de quórum, os desembargadores da  Sessão Especial Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul negou o recurso do ex-prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, em que ele questiona a validade do julgamento que o condenou a 8 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O recurso questiona pontos como a falta da nomeação de um Defensor Público, na ausência do advogado de defesa. A apreciação do recurso pelos desembargadores devia ter ocorrido no dia 23 de agosto.

O ex-prefeito e um assessor especial foram acusados de pedir cheques em branco a fiéis da igreja que era pastor para ajudar a pagar a campanha eleitoral de 2012. Os cheques foram repassados a agiotas. O caso foi parar no Ministério Público Estadual (MPE).
 
Outras duas ações criminais estão tramitando contra Olarte, por lavagem de dinheiro e improbidade administrativa. Ele chegou a ser preso e atualmente está em liberdade e usa tornozeleira eletrônica. A decisão desta quarta-feira não altera a situação do réu. O processo contra Olarte tem 3 mil páginas. Por meio da imprensa, a defesa do pastor alegou que vai recorrer.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix