Campo Grande/MS, Terça-Feira, 16 de Julho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Domingo, 21 de Dezembro de 2014, 07h:56
Tamanho do texto A - A+

Mais de 200 indígenas da Aldeia Amambai recebem certificação de Cursos Profissionalizantes

Juliana Brum - Capital News (www.capitalnews.com.br)

O município de Amambai, localizado na região Sul de Mato Grosso do Sul, registra a segunda maior população indígena do país e abriga a Aldeia Amambai, com cerca de nove mil famílias das etnias Guarani-kaiowá. Na última semana 209 indígenas foram certificados por concluírem capacitações do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.

Com a parceria do Sindicato Rural de Amambai foi possível a realização de qualificações como Horticultor Orgânico, Tratorista, Corte e Costura, Produção Artesanal de Produtos de Limpeza e por intermédio do Pronatec – Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, os cursos de Moleiro e Assistente de Planejamento e Controle de Produção, na vertente de ILPF – Integração, Lavoura, Pecuária e Floresta.

O cacique líder da Aldeia indígena Guarani-Kaiowá Amambai, Italiano Vasques, foi um dos formandos, pois participou do programa de Inclusão Digital, junto com dois filhos. Ele comemorou o certificado e relatou a transformação que a comunidade indígena apresentou após participar dos cursos. “Agradecemos o apoio do Sindicato Rural e do Senar por nos proporcionar conhecimento, profissão e uma forma de melhorar de vida. Vários moradores participaram das capacitações. Já temos uma cooperativa das mulheres que produzem sabão e aguardamos para 2015 cursos voltados para o setor alimentício e de assistência rural”, pontuou o cacique.

Vasquez explicou que a maior dificuldade da comunidade para cultivar lavouras vem da falta de conhecimentos referente ao período correto de plantio, análise do solo e atraso no recebimento de insumos agrícolas. “Nossa etnia sempre gostou de trabalhar com plantação, porém, muitas vezes, não conseguimos acompanhar o tempo de preparação e plantio dos nossos vizinhos. O resultado é que nossa colheita é bem menor, por isso, estamos muito satisfeitos com o apoio do Sindicato Rural e do Senar, pois, estamos aprendendo muito sobre agricultura”, acrescentou.

Durante o evento, o superintendente do Senar/MS, Rogério Beretta, detalhou aos presentes as ações educativas previstas para 2015 e também explicou a importância do Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural. “Em 2014, contabilizamos 900 produtores atendidos pelo programa. Nossos técnicos promovem a análise da propriedade e explicam para os proprietários vários fatores que influenciam na melhora da produção, independente do tamanho da propriedade e cultura escolhida”, considerou.
 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Trinix