Campo Grande/MS, Terça-Feira, 27 de Junho de 2017 | 06:16
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Quinta-Feira, 02 de Fevereiro de 2017, 14h:28
Tamanho do texto A - A+

Agronegócio: criatividade e superação

Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Por José Luiz Tejon Megido*
Artigo de responsabilidade do autor

2017 será um ano que vai exigir muita criatividade, inovação e superação. Isto significa acima de tudo capacidade de aprender a aprender. E criatividade é o insumo mais barato do mundo. Não custa nada, basta  pensar, concentrar, observar, reunir as melhores coisas que você observa, e integrar ao seu desafio, ao seu negócio.

Alphaville Empresarial

José Luiz Tejon Megido - Artigo

José Luiz Tejon Megido

 

Pesquisas revelaram que 97% das empresas mais bem sucedidas no mundo não são as que inventaram primeiro, foram as que captaram, replicaram, adaptaram e agiram com velocidade. Ou seja, foco e prontidão para criar e inovar.

O mundo vive agora uma crise globalizada, não espere moleza nem zona de conforto, tenha a certeza da volatilidade do câmbio, da incerteza das trocas comerciais, dos preços das commodities. Não espere lucidez e bom senso dos grandes comandantes do planeta, como Trump, Putin, novos governos nacionalistas ou protecionistas europeus.

Da mesma forma, não acredite que um ser transcendental irá se materializar em Brasília e transformar toda a guerra de poderes, o jogo dos egos, a imoralidade e a fragilidade da ética  numa poção mágica de ordem e progresso.

Sendo assim, busque a sabedoria dos sábios. No agronegócio, o cooperativismo passa a ser coisa sagrada. Ninguém tem futuro sozinho, e se você não aprender estará incapacitado. Sistemas de integração são sábios, inovações como integração lavoura e pecuária. Não perca tempo, aprenda, diversifique e comece. Você ficará menos exposto a uma commodity só, e vá adiante, integre com floresta, com aquacultura. O pescado, por exemplo, vai crescer e já temos tecnologia e bons sistemas de aquanegócios.

A madeira continuará sendo demandada, na borracha o Brasil carece de autosuficiência, a palma e o cacau idem. O café deverá agregar valor, vamos vender mais cápsulas e multiplicar por 10 o valor de cada saca de café. E, o açúcar continuará adoçando o mundo bem como o etanol eletrificando novas gerações de automóveis híbridos.

De olho no clima, na sustentabilidade sirva-se do conhecimento de fundações que analisam com métricas as causas e efeitos de ações de sustentabilidade. Fique de olho nos 100 bilhões de dólares do Green Climate Fund.

Se ligue no não desperdício. Use os sensores instalados nas novas máquinas agrícolas, e pare de jogar sementes, adubo e defensivos fora. Na proteína animal, cuide do bem estar e do ambiente dos organismos dos suínos, aves, bovinos de corte e de leite, e diminua o potencial das doenças que começam pelos intestinos. Cuide da nutrição animal e dos nutrientes para a vida dos vegetais. E negocie, negocie muito mais e faça a gestão das cadeias produtivas. Isso sim significa agronegócio.

Em 2017, crie para espantar a crise, supere para fazer mais e melhor tudo o que você já fez um dia. 2017, ano de criatividade e superação. Jamais seremos os mesmos hoje e amanhã.

 

 

*José Luiz Tejon Megido

Conselheiro Fiscal do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix