CapitalNews

Domingo, 22 de Dezembro de 2019, 07h:00

Bancos digitais projetam aumento de 30% em faturamento neste natal

Por Fernando Oliveira*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Sem dúvida, o natal é a época do ano onde os recordes de consumo quase sempre superam as expectativas. Como posiciona a pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo Serviço de Proteção de Crédito feita em todas as capitais do país, cerca de 119 milhões dos brasileiros possuem pretensão de comprar presentes neste período de festas, movimentando um total de R﹩ 60 bilhões na economia nacional. Esta análise supera os números apontados em 2018, que estimava mais ou menos 110 milhões novos clientes. Além de influenciar diretamente o mercado, esta crescente acaba impactando outros setores financeiros como, por exemplo, o de bancos digitais.

Nelson Toledo/Divulgação

Fernando Oliveira - Artigo

Fernando Oliveira


A ascensão deste sistema bancário tornou-se bastante popular entre a população brasileira no último ano, o que pode ser evidenciado com o aumento significativo no lançamento de novas instituições. Um estudo recente de Ranking de Experiência Digital em Abertura de Conta, encomendado pela startup Regtech Idwall, concluiu que 72% dos participantes trocariam seu banco tradicional por um digital, levando principalmente em conta a facilidade na abertura de contas e atualização das plataformas. Vendo este mercado como uma oportunidade para expandir seus negócios, marcas nacionais estão apostando no empreendimento.

Normalmente, a margem de lucro média de um banco digital é de 35% para segmentos corporativos e de nicho. No Natal, a projeção de faturamento é calculada com base no crescimento do consumo do mês de dezembro no varejo, o que pode impactar diretamente o faturamento de um banco pertencente a um grupo de varejo. A lucratividade do sistema nesta época é modificada devido ao aumento expressivo no faturamento e manutenção dos custos fixos do banco digital White Label, refletindo em um aumento expressivo de rentabilidade.

O investimento em um banco digital por parte de uma empresa faria com que esta captasse todo crescimento de lucratividade oriundo às atividades de final de ano e maiores vendas do varejo, fazendo com que o varejista ganhasse 2 margens - a do próprio varejo e de seu próprio banco digital. Além disso, a empresa conseguiria trazer para seu banco clientes adicionais de suas lojas nesse período de grande aumento de volume.

Desta forma, comparado ao ano passado, o aumento é expressivo, demonstrando uma maturação da economia brasileira e um reflexo na diminuição da taxa de juros atual, com previsão de crescimento de 15% em relação ao ano anterior. As pessoas estão mais habituadas aos bancos digitais devido a grande quantidade de players entrantes no mercado nos últimos 2 anos e 2019 foi - sem dúvida - determinante no crescimento do uso das plataformas digitais.

 

 

*Fernando Oliveira

Graduou-se em engenharia de produção pela USP (Universidade de São Paulo), após estudos em engenharia mecânica no ITA (Instituto Tecnológico Aeronáutico). Possui extensão em empreendedorismo em mercados emergentes na conceituada universidade americana Harvard. Tornou-se CEO da B2B Capital Partners LLC em 2004. Desde então, vem atuando em venture capital envolvendo negociações de grande expressão como, por exemplo, a fusão das empresas Brazil Best Food S.A e Premium Fast Food Brasil, tendo sido responsável pelos investimentos latam nas áreas de food service, logística aérea (táxi aéreo), exportação de açúcar e soja, entre outros. Atualmente, Fernando é co-CEO da BTX Digital.


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br