Campo Grande/MS, Sábado, 23 de Setembro de 2017 | 03:21
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Terça-Feira, 05 de Setembro de 2017, 16h:58
Tamanho do texto A - A+

Produtores de floresta MS plantaram 620 mil hectares em sete anos

Setor bateu a marca de 1,15 milhão de hectares e resultado era esperado apenas para 2030

Flávio Brito
Capital News

Famasul/Divulgação

Floresta plantada

Presidente da Reflore/MS, Moacir Reis, governador Reinaldo Azambuja e presidente da Famasul, Maurício Saito

Em menos de uma década, os produtores de floresta plantada de Mato Grosso do Sul alcançaram o objetivo previsto apenas para 2030. Foram mais 620 mil hectares plantados no Estado em sete anos. O setor registrou crescimento da produção em 2017 e bateu a marca de 1,15 milhão de hectares de florestas plantadas. Com capacidade de expansão para sete milhões de hectares, o equivalente a 20% da Costa Leste, o Estado se tornou referência mundial no segmento. 

Para o governador Reinaldo Azambuja, a conquista dos produtores rurais é resultado da lucratividade deste setor. “Mato Grosso do Sul antecipou em mais de uma década o desafio de cumprir a projeção de 1 milhão de hectares plantados em florestas. Este resultado foi possível graças à organização da cadeia produtiva regional e tenho certeza que podemos dobrar este número antes de 10 anos, afinal temos extensão de área, clima e solo adequado”. O plano foi publicado em março de 2009.

“As condições que temos em MS, sob o ponto de vista da produção agrícola, são extremamente competitivas contra qualquer país do mundo”, avaliou o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que, ao lado governador Reinaldo Azambuja, participou nesta terça-feira (5) do 5º Congresso MS Florestal, realizado pela Reflore/MS e pelo Senar/MS.

O presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, ressaltou que a capacitação é o caminho para o crescimento do setor. “O Serviço de Aprendizagem Rural  criou 18 novos cursos neste segmento produtivo este ano, em áreas que vão de legislação até mecanização. É uma forma de elevar o capital social, por meio do compartilhamento do conhecimento.”

Referindo-se aos sistemas de integração que envolvem lavoura, pecuária e floresta, Saito destacou, ainda, a importância do programa Mais Inovação, do Senar/MS: “Em 5 anos de existência do programa foram recuperados, aproximadamente, 50 mil hectares de áreas degradadas e a capacidade de suporte que antes, em média, era de 0,79 UA/ha alcançou 2,28 UA/ha, comprovando o aumento na capacidade de lotação.”

“Nosso Estado alcançou a marca de 1 milhão de hectares plantados. Este resultado é mérito dos produtores rurais e da indústria. Devemos chegar a 1,5 milhão de hectares nos próximos anos e nos tornamos líderes do setor”, acrescentou o presidente da Reflore/MS, Moacir Reis.

O deputado estadual, Junior Mocchi, também pontuou o desenvolvimento do setor em pouco tempo. “Passamos de 378 mil para 1 milhão de hectares em apenas 7 anos, ou seja, praticamente triplicamos”.

Em seguida, o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, ministrou uma palestra com o tema ‘Setor Florestal de Mato Grosso do Sul – Desafios e Oportunidades’. Participaram da abertura o vice-presidente do Sistema Famasul, Nilton Pickler; a diretora-secretária da Federação, Terezinha Candido; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan; o secretário de Gestão Estratégica, Eduardo Riedel; o superintendente do Crea/MS, Renato Roscoe; o presidente do MNP – Movimento Nacional dos Produtores, Rafael Gratão e o Diretor-Superintende do Sebrae MS, Cláudio Mendonça.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Trinix