Campo Grande/MS, Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
2018
Terça-Feira, 01 de Janeiro de 2019, 12h:00
Tamanho do texto A - A+

O ano foi do Galo no futebol sul-mato-grossense

Operário FC conquistou o título estadual após 21 anos de jejum

Rogério Vidmantas
Capital News

Franz Mendes/Cedida

Operário Corumbaense

Jogadores comemoram o gol do título, marcado pelo zagueiro André Paulino

No Horóscopo Chinês, 2018 foi o ano do cão da terra, mas no futebol sul-mato-grossense foi o ano do Galo. Depois de 21 anos de jejum, com direito à rebaixamentos e temporadas fora do futebol profissional, o Operário FC levou o título do Campeonato Estadual e está de volta ao cenário nacional com lugar na Copa do Brasil e Série D do Campeonato Brasileiro. A conquista ratifica as boas campanhas desde o acesso em 2015, chegando às semifinais no biênio 2016/17, caindo para os campeões Sete de Dourados e Corumbaense, respectivamente. Neste ano, ultrapassou a barreira da semifinal e levou o 15ª título da sua história (4 Títulos no MT, 11° Títulos MS).

 

Previsto para ser disputado por 12 clubes, o Campeonato Estadual começou com apenas dez, já que o CE Nova Andradina, que garantiu vaga com o vice-campeonato da Série B em 2017 alegou dificuldades financeiras para disputar a primeira divisão, mesmo motivo dado pelo Naviraiense para abrir mão da disputa. Com os dois clubes fora e, consequentemente rebaixados, a competição apenas manteve a formula, mas com cinco times em cada chave.

 

Campanha

Na primeira fase a classificação operariana, como era de se esperar, foi tranquila. Líder do Grupo A com 14 pontos, acumulados em quatro vitórias, dois empates e duas derrotas. Em uma das vitórias, goleou o rival Comercial por 4 a 1 no primeiro turno, mas levou o troco e perdeu pela contagem mínima na volta, mas nada que atrapalhasse a liderança no fim.

 

Na segunda fase enfrentou o Urso de  Novo, quarto colocado do Grupo B e, um confronto que teoricamente seria tranquilo, por um minuto não tirou o Galo do campeonato. Na ida, empate em 1 a 1 no Sul do Estado, gols de Peixinho e Jullyan. Na volta, no Morenão, um novo empate classificaria os alvinegros, mas o time do interior surpreendeu e fez 1 a 0 com Renan cobrando pênalti ainda no primeiro empo. Depois, pressão operariana até que, aos 48 minutos do segundo tempo, André Paulino, de cabeça, empatou o jogo, resultado suficiente para garantir a classificação. 

Marcelo Ezoe/FFMS

Operário Sete

Operário venceu os jogos de ida e de volta contra o Sete

 

Na semifinal, o adversário foi o, até então, invicto Sete de Dourados e, no jogo de ida, no Morenão, a vitória veio mais uma vez nos acréscimos. O Galo foi melhor o jogo todo, mas sem competência para marcar até que, aos 46 minutos do segundo tempo, Juninho Carioca aproveitou uma sobra de bola na área e fez o gol da vitória por 1 a 0. Na volta, no Douradão, um empate serviria, mas a classificação para final veio com outra vitória, desta vez por 2 a 1. Luiz Miguel colocou o Operário na frente no primeiro tempo. No segundo, já aos 40 minutos, Baiano empatou para o Sete que foi em busca do gol que precisava, mas abriu espaçou para o contra-ataque. Pouco antes do final, Fernandinho aproveitou os espaços e marcou um golaço, definindo a classificação operariana.

 

Decisão em preto e branco

Anderson Ramos/Capital News

Operário Corumbaense

Operário e Corumbaense decidiram título estadual deste ano no Morenão

A final colocou frente a frente os dois melhores times da competição. O Operário em busca do título que não conquistada há mais de duas décadas e o Corumbaense, atual campeão. O jogo de ida foi no Estádio Arthur Marinho e terminou com vitória do time da casa por 1 a 0, gol de Mutuca, invertendo a vantagem do empate no jogo final, em Campo Grande. A vitória passou a ser obrigação do time campo-grandense se quisesse chegar ao título.

 

O Estádio Morenão teve os quase 10 mil lugares disponíveis tomados pelas duas torcidas para um jogo digno de decisão que caminhava para um resultado sem gols, suficiente para o bicampeonato do Corumbaense. Até que André Paulino, o zagueiro que salvou o time nas quartas de final, apareceu de novo. Aos 25 minutos do segundo tempo, ele fez o único gol do jogo, o gol do título, para festa do torcedor alvinegro após 21 anos de sofrimento. Operário FC, campeão sul-mato-grossense de 2018.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix