Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 | 00:23
27˚
(67) 3042-4141
Política
Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 08h:29
Tamanho do texto A - A+

PF desarticula esquema que desviou quase R$ 1 milhão de prefeitura

Policiais cumprem 13 mandados de condução coercitiva e sete de busca e apreensão

Laura Holsback
Capital News

Policiais federais cumprem mandados na manhã desta terça-feira (12), no contexto da operação Cambota, deflagrada para desarticular esquema de desvio de dinheiro público na prefeitura de Três Lagoas. Segundo a polícia, estima-se que o valor do prejuízo tenha sido de quase R$ 1 milhão.

 

Aproximadamente 67 policiais federais estão cumprindo 13 mandados de condução coercitiva e sete de busca e apreensão, nas cidades de Três Lagoas e Dourados.

 

Divulgação/PF

PF desarticula esquema que desviou quase R$ 1 milhão de prefeitura

Policiais cumprem mandados desde o começo da manhã

Segundo a PF, as investigações dizem respeito ao período de 2015 e 2016, quando verificou-se que um grupo de servidores da Prefeitura em associação com alguns empresários do ramo de oficinas, estariam direcionando e superfaturando serviços decorrentes de contrato de manutenção da frota de veículos da Prefeitura Municipal de Três Lagoas. 

 

Além do direcionamento dos serviços, verificou-se que o grupo criminoso gerou prejuízos estimados em até R$ 800 mil, principalmente com sobrepreço nas peças e serviços prestados. Houve casos em que foi constatado superfaturamento na ordem de até 486% do valor das peças substituídas pelas oficinas mecânicas. 

 

As investigações contaram com o apoio da Controladoria Geral da União(CGU) em Campo Grande, que realizou minuciosa análise nos contratos e serviços prestados pelas oficinas envolvidas no esquema durante o biênio 2015/2016. 

 

Cambota é o nome popular do Virabrequim, peça responsável pela movimentação do automóvel. Como a fraude consistia em direcionar e majorar serviços nos automóveis da frota, o nome faz alusão à atuação policial, no sentido de desarticular a organização criminosa impedindo sua movimentação. 

 

Os investigados serão conduzidos para a Polícia Federal em Três Lagoas, onde serão ouvidos e permanecerão à disposição da Justiça. Eles podem responder pelos crimes de organização criminosa, estelionato qualificado, corrupção ativa e passiva, cujas penas somadas podem chegar a 26 anos de prisão. 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix