Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 24 de Agosto de 2017 | 06:39
27˚
(67) 3042-4141
Nacional
Segunda-Feira, 19 de Junho de 2017, 15h:44
Tamanho do texto A - A+

Mesmo investigado pela PGR, Temer pede punição a criminosos

Imagem do peemedebista está mais abalada, após entrevista do empresário Joesley Batista à Revista Época

Maisse Cunha
Capital News

Valter Campanato/Agência Brasil

“Não renunciarei, repito não renunciarei”, diz Temer em pronunciamento; veja vídeo

 

Mesmo sendo investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), por supostos crimes de corrupção, obstrução de Justiça e organização criminosa, o presidente Michel Temer (PMDB) gravou um vídeo pedindo punição a criminosos.


O material será divulgado na tarde desta segunda-feira (19), nas redes sociais, quando o Chefe do Executivo Nacional estará embarcando para a Rússia e Noruega, em agenda oficial. A declaração ocorre às vésperas de possível oferta de denúncia contra o presidente, feita pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.


O empresário Joesley Batista, dono da JBS, atribuiu a Temer o posto de “chefe de organização criminosa que comanda o país”, em entrevista à Revista Época, na semana passada.


Assim, Temer vê a necessidade de atacar o Ministério Público Federal (MPF) pelo não oferecimento de denúncia contra Joesley e os demais executivos da multinacional, e mostrar que não está refém das denúncias que assolam seu mandato.


Entrevista
Joesley Batista reafirmou, à Época, as acusações feitas contra Temer e o alto escalão do Governo em sua delação premiada, e acusou o presidente de ser chefe da quadrilha mais perigosa do país. O empresário também afirmou que “Temer não tem muita cerimônia para pedir dinheiro”.

 

Reprodução/Estadão

Empresário dono da JBS e Eldorado é alvo de condução coercitiva pela PF

 

Sobre a relação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) com o presidente, Joesley afirmou que Temer era o superior hierárquico do ex-deputado, cassado, preso desde novembro do ano passado. “Tudo que o Eduardo conseguia resolver sozinho, ele resolvia. Quando ficava difícil, levava para o Temer. Essa era a hierarquia. Funcionava assim: primeiro vinha o Lúcio [o operador Lúcio Funaro]. O que ele não conseguia resolver pedia para o Eduardo. Se o Eduardo não conseguia resolver, envolvia o Michel”, disse.


O empresário ainda acusou: “quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muita perigosa. Não pode brigar com eles. Nunca tive coragem de brigar com eles. Por outro lado, se você baixar a guarda, eles não têm limites”.


Em resposta às afirmações do empresário, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) divulgou nota oficial, negando todas as acusações e informando que Michel Temer processará Joesley Batista civil e criminalmente.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix