Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 15 de Agosto de 2018 | 00:40
27˚
(67) 3042-4141
Esporte
Terça-Feira, 15 de Maio de 2018, 13h:25
Tamanho do texto A - A+

Em situações semelhantes, Novo e Corumbaense jogam por vitórias para se classificar no Brasileiro

Primeira fase do Brasileiro termina em duas rodadas e times do MS ainda sonham com vaga

Rogério Vidmantas
Capital News

A Série D do Campeonato Brasileiro entra na reta final neste fim de semana com a penúltima rodada da primeira fase e os times sul-mato-grossenses na competição dividem a mesma situação e necessidade de vitórias para pensarem na possibilidade de classificação para a segunda fase. Corumbaense, no Grupo A10, e o Novo, no Grupo A11, fazem campanhas semelhantes e ainda não figuram na zona de classificação.

Tradicionalmente, as campanhas dos clubes do Estado no Brasileiro na quarta divisão não tem sido das melhores. Desde 2009, quando passou a ser disputada, Naviraiense, Cene, Itaporã, Comercial, Águia Negra e Sete de Dourados passaram pelo campeonato sem chegarem perto da semifinal, que garante o acesso. Apenas Sete em 2016 e Comercial em 2017 avançaram para segunda fase, caindo em seguida para Fluminense de Feira-BA e Ceilândia-DF, respectivamente.

Grupo A10

Anderson Papel/DF Sports

Brasiliense Corumbaense

Goleada sofrida pelo Corumbaense no DF pode atrapalhar planos de classificação

A chave tem o líder Iporá-GO, com 12 pontos e 100% de aproveitamento, já classificado e a briga pela vaga que resta está entre o Brasiliense-DF, segundo com sete, e o Corumbaense, terceiro com quatro pontos. Para avançar, o Carijó vai precisar mais que apenas os seus resultados, já que não enfrenta mais o adversário direto pela vaga. Além de vencer o lanterna Dom Bosco-MT, fora de casa no próximo domingo (20), e o Iporá, em casa na última rodada, torce para que o Brasiliense perca pontos para os mesmos adversários.

Outro fator que pesa contra o time de Robert Almeida é o saldo de gols. Antes destas duas rodadas finais, tem saldo negativo de quatro gols, contra saldo positivo de cinco do Jacaré, que pode pesar caso os dois times terminem juntos após as seis rodadas.

Grupo A11

Sérgio Porto/CEC

Ceilândia Novo

Derrota no DF não tirou Novo da disputa por vaga, mas vitórias nos próximos jogos são fundamentais

O Novo tem a mesma campanha do Corumbaense, com quatro pontos em quatro jogos – uma vitória, um empate e duas derrotas -, mas graças ao equilíbrio da chave, o time campo-grandense depende apenas dos seus resultados. Sinop-MT e Aparecidense-GO lideram com sete pontos cada, enquanto Novo e Ceilândia somam quatro. Se vencer o Sinop neste domingo no Morenão e a Aparecidense na última rodada, chega aos dez pontos e pode até ser o primeiro da chave.

Se for segundo, a pontuação garante um lugar entre os 15 que avançam. Em 2016 e 2017, quando a competição passou a ser disputada com 68 clubes e neste formato, os dois últimos segundos colocados no índice técnico fizeram oito pontos.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix