Campo Grande/MS, Sábado, 25 de Maio de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Segunda-Feira, 14 de Janeiro de 2019, 09h:54
Tamanho do texto A - A+

MSGÁS fechou 2018 com 25% de crescimento no número de clientes

A companhia apresentou recorde no segmento automotivo

Leonardo Barbosa
Capital News

Governo do Estado/Divulgação

MSGÁS fechou 2018 com 25% de crescimento no número de clientes

O segmento automotivo foi o que se mais destacou em 2018, apresentando recorde de consumo

A Companhia de Gás de Estado de Mato Grosso do Sul (MSGÁS) encerrou 2018 com um crescimento de 25% no número de unidades consumidoras em relação ao ano de 2017. Os dados são do Relatório Mensal da Gerência Comercial da Companhia e reúne informações dos segmentos industrial, comercial, residencial e automotivo.

 

De acordo com o Relatório, o volume distribuído no acumulado de janeiro a dezembro, comparando os anos de 2018 e 2017, também mostrou um acréscimo de 40% no segmento residencial, seguido de 27% de incremento no setor industrial e 22% no comercial. Para o diretor técnico e comercial da Companhia, Bernardo Prates, os volumes de distribuição de gás natural em Mato Grosso do Sul obtidos no ano de 2018 foram significativos, alcançando um crescimento além dos índices normais de mercado.

 

“Na indústria, o aumento se deve aos acréscimos de consumo diário das indústrias de celulose e refinamento de grãos. Nos segmentos residencial e comercial devido aos grandes prédios novos e habitados que migraram para o gás natural, grande quantidade de restaurantes, hotéis, hospitais, lanchonetes. Tal movimento é explicado por dois fatores: uma forte ação comercial no sentido de divulgar os atributos do gás natural no que tange à qualidade, segurança, praticidade e a economia do nosso produto e, além disso, um empenho muito grande das áreas operacionais e de suporte para agilizar o processo de ligação de clientes, bem como prestar atendimento de alta qualidade”, explicou.

 

Já o aumento anual de 7% no setor automotivo e o recorde alcançado em dezembro, 12.596 m³/dia, foi atribuído por Prates à alta competitividade do gás natural frente à gasolina e o etanol, uma vez que em Mato Grosso do Sul, quem utiliza este combustível pode economizar mais de 50%.

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix