Campo Grande/MS, Sábado, 16 de Dezembro de 2017 | 23:05
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quarta-Feira, 29 de Junho de 2011, 12h:15
Tamanho do texto A - A+

Hacker do Rio de Janeiro é responsável por ataques ao site do TJ/MS e de mais seis Estados

Jefferson Gonçalves - Capital News (www.capitalnews.com.br)

João Felipe M.D.C, 21 anos, morador de Volta Redonda (RJ), foi identificado como o autor das tentativas de ataques no site do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul em 17 de novembro de 2010, conforme informações repassadas nesta manhã (29), durante entrevista coletiva na Delegacia Geral de Polícia Civil, pelo delegado Paulo César Braus, titular da Delegacia Especializada de Repressão ao Crime Organizado (Deco), juntamente com peritos do Instituto de Criminalística de Campo Grande.

Segundo o delegado, as investigações apontam que João Felipe também é o autor de ataques a sites públicos em estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Pernambuco, Ceará e Alagoas, sendo que maiores estragos ocorreram em Alagoas, onde o suspeito conseguiu ter acesso a mais de cinco mil registros, entre eles dados pessoais, senhas bancárias e senhas de usuários através de um ataque ao site do Tribunal Justiça de Alagoas, no dia 4 de fevereiro deste ano. O ataque ao site TJ/MS gerou apenas um procedimento de manutenção, já que o firewall (sistema de segurança) do site detectou a tentativa de invasão ao site.

Com os dados das vítimas em mão, João Felipe se comunicava com outros hackers através de redes sociais e negociava as informações. “Com as senhas de vários usuários, o suspeito vendia para outros hackers na rede social ou utilizava os dados para pagamentos de contas”, disse o perito criminal Valdson Rodrigues Gomes. O Instituto de Criminalística ficou responsável pela perícia nos computadores e nas mais de 50 mídias apreendidas na casa do suspeito em Volta Redonda, por meio de um mandado de busca e apreensão.

Além da invasão de sites, a Polícia também descobriu que João Felipe possuía programas que clonavam páginas de instituições bancárias que eram enviadas por falsos e-mails, para conseguir senhas de contas bancárias. “A vítima recebia um falso e-mail de sua agência onde eram solicitados os seus dados para atualização. No momento em que o cliente acessava o link e confirmava a sua senha, as informações eram encaminhadas para o hacker automaticamente”, disse o delegado Paulo Braus.

Clique na imagem para acessar a galeria (04 fotos)

Paulo César Braus
Foto: Deurico/Capital News

Para Instituto de Criminalística, as invasões ocorrem quando o site ou o proprietário de um computador não executa os procedimentos de segurança diariamente. Foram encontradas na casa do suspeito, apostilas com tutoriais sobre invasões de sistemas de informática, assim como registro de conversas onde eram repassados procedimentos de invasão para outros sites. “São informações simples que se o sistema não estiver atualizado, acaba virando uma vítima fácil dos hackers”, disse o perito Alexsandro Procópio da Silva.

As invasões no site do TJ, conforme o perito, são diferentes das ocorridas nos últimos dias em órgãos públicos da Capital. “A atuação dos hackers neste caso não foi de caráter difamatório como o ocorrido nos sites públicos recentemente. Os hackers roubavam senhas de usuários e usavam para lucro próprio”, completou o perito.

Por enquanto, a Polícia realiza a perícia dos objetos apreendidos a casa do suspeito, que está em liberdade, porém será ouvido pela Polícia de Mato Grosso do Sul, nos próximos dias através de carta precatória. O inquérito será enviado para a Polícia Civil dos outros Estados que foram vítimas da ação do hacker e também para a Polícia Federal, que ficará encarregada das investigações do caso. João Felipe poderá ser indiciado por dano e furto qualificado, podendo pegar de seis meses a 3 anos de reclusão.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Trinix